Criança

Aluno autista recebe prêmio insensível de escola e mãe protesta: “Os professores praticam bullying”

Desiree foi até a mídia protestar

Nathalia Lopes

Nathalia Lopes ,Filha de Márcia e Toninho

Esta mãe se revoltou com o posicionamento da escola (Foto: Reprodução/Turn to 10)

Desiree Perez é mãe de um menino autista e está revoltada com a forma com a qual a escola tratou o filho dela, Kelvin. Ela e a criança vivem nos Estados Unidos e é nesse período (junho, julho) que as crianças terminam o ano e entram em férias de verão.

E algumas escolas para comemorar o fim do período letivo fazem algumas premiações. Acontece que o colégio de Kelvin foi totalmente insensível com o fato de ele pertencer ao espectro autista. O colégio o nomeou como o aluno “mais provável a se perder/sumir na multidão”. O caso aconteceu em New Bedford.

Obviamente o “prêmio” magoou Kelvin e por consequência a mãe também. Desiree chegou ir ao colégio para cobrar satisfações, mas não obteve o que queria. Foi então que ela entrou em contato com a mídia local, WJAR.

Ela afirma que os professores estão fazendo bullying contra o filho dela. Afinal o certificado entregue ao menino foi assinado por cinco deles. O papel foi entregue junto com as notas de Kelvin que eram todas “A”, “B” e alguns “C”. “Em todo ano, com todo esforço, foi isso que ele conseguiu?”, disse ao jornal.

O menino não entendeu porque recebeu esse prêmio (Foto: Reprodução/Turn to 10)

O posicionamento da escola

Segundo Desiree a escola nunca se mostrou muito compreensiva com o menino. A mãe disse que o filho, uma vez, sofreu bullying de três meninos e que nada aconteceu com os agressores. Agora, que ela foi reclamar do prêmio a escola apenas pediu desculpas.

E agora, de repente, meu filho recebe esse prêmio, dizendo que ele está sempre perdido em uma multidão, e isso não está certo. Eles não deveriam dar um prêmio como esse para qualquer criança. Eles só deveriam dar prêmios positivos”, protesta. 

A mãe também relatou que o filho não entendeu o verdadeiro significado: “Mas mamãe eu nunca me perco”, disse ele. Ela completa falando que enviou um email ao superintendente Thomas Anderson e ao prefeito Jon Mitchell, mas ainda não recebeu resposta.

A secretaria de ensino apenas emitiu uma nota à WJAR dizendo que: “ Thomas Anderson está ciente da queixa e que uma investigação está em andamento”. 

Leia também: 

4 sinais de que seu filho está sofrendo bullying e como reagir 

Relato de mãe: “Minha filha sofre tanto bullying que está fazendo xixi na calça” 

Professora corta cabelo igual ao de aluna que sofria bullying: “Eu precisava fazer isso”