Por que nosso cérebro precisa de férias?

Não é só o corpo que necessita descanso da rotina agitada

A rotina cansa e mudar os hábitos faz bem (Foto: Getty Images)

“Pensar cansa”. É com essa frase que a neurocientista Suzana Herculano Houzel justifica essa pergunta. O dia a dia de trabalho, estudo, casa, filhos, família faz com que você fique esgotada. O corpo é um dos primeiros a dar sinais: sono, preguiça e dores nas costas e mãos são os mais comuns. Mas outra parte não tão visível que também é altamente afetada pela correria é o cérebro. A ciência explica que os neurônios precisam de descanso para recarregar as energias. 

Sem culpa! Você precisa de um tempo para si, para cuidar de você. Os cientistas descobriram que a atividade cerebral se reorganiza completamente durante este período. Diversas pesquisas apontam que as áreas ativadas no cérebro são diferentes quando estamos trabalhando e descansando. Segundo os estudos, o cérebro tem duas redes principais de neurônios: uma positiva também chamada de “rede de controle executivo”, ativada quando você foca em uma atividade, e outra de “rede de processamento padrão” ou “rede de tarefas negativas”, ativada quando você descansa ou está sonhando

“O aspecto curioso do cansaço do cérebro é que ele é específico para aquelas partes que estavam trabalhando intensamente de fato. Então, se você passa muito tempo fazendo contas de cabeça, você esgota a sua capacidade de lidar com números, mas você é totalmente capaz de sair dali e ir tocar piano, ou ir ler um livro, ou fazer alguma atividade que exija a atuação de outros sistemas do seu cérebro”, explica Suzana Houzel. Por isso, aproveite as férias não apenas para ficar deitada na cama, mas para fazer atividades diferentes e explorar outras partes do seu cérebro.

Esse denscanso ajuda a renovar as energias (Foto: Shutterstock)

Dar férias ao cérebro não significa não pensar em nada e apenas olhar para o teto. É fundamental durante esse período mantê-lo ativo, a diferença é que ao invés de fazer coisas por obrigação, você fará porque quer e quando quiser. Aproveite para realizar aquilo que te dá prazer e te relaxe, e nada de cobrança! Confira algumas dicas da Diretora Pedagógica do Método SUPERA, Solange Jacob para se inspirar em fazer em casa:

  • Jogos: Vale tanto para as crianças quanto para os adultos. O seu filho pode praticas esportes como queimada e frescobol, que desenvolvem a inteligência corporal, enquanto você pode optar pelo sudoku, que desenvolve o raciocínio ou jogos de tabuleiro, que promovam interação entre os participantes e estimulam a memória e agilidade de raciocínio. Dá para chamar a família toda para curtir junta.
  • Neuróbicas: É isso mesmo que você leu, essas atividades funcionam como ginástica para o cérebro ou “aeróbica para os neurônios”. Nada mais é que tirar o cérebro da zona de conforto, fazendo as tarefas comuns do cotidiano de um jeito diferente, fazendo com que os neurônios tenham que encontrar outro caminho para realizar a mesma atividade, como por exemplo escovar os dentes com a mão não dominante ou trocar de roupa com os olhos fechados.   
  • Dança: Além de divertida, traz inúmeros benefícios para o cérebro, principalmente para os idosos, já que tem o efeito de frear ou até reverter o declínio das capacidades física e mental, de acordo com um estudo alemão.
  • Alimentação: Com mais tempo livre, por que não aproveitar para se alimentar melhor? Tomar café da manhã, por exemplo, é essencial para o bom funcionamento do cérebro. Você pode incluir ovos, já que a gema é rica em colina, nutriente fundamental para o desenvolvimento cerebral , relacionada à memória e oleaginosas, ricas em vitamina E, ajudando a diminuir a piora cognitiva com a idade.

Leia também:

Ciência comprova: mães precisam dormir mais que os homens porque o cérebro delas trabalha mais

Estudo mostra o efeito do beijo no cérebro do bebê

Férias em família: todas as dicas para vocês aproveitaram o melhor do verão na praia!