Criança

Loja de roupa criada por mãe é pensada para crianças: “Com texturas diferentes e coloridas”

A Candinha Pula Corda vende varejo e atacado

Yulia Serra

Yulia Serra ,filha de Suzimar e Leopoldo

Dalila se inspirou no filho para criar a Candinha Pula Corda (Foto: reprodução/Arquivo Pessoal)

As mulheres são multifacetadas. Após o nascimento do filho, uma mãe se desdobra em mil para poder oferecer o que julga ser melhor para a família. Dalila Foschiani, motivada pela vinda do Giuseppe, criou a Candinha Pula Corda, uma loja de roupas infantis interativa:

“Sou mãe e empreendedora. Meu filho foi uma grande inspiração para meu negócio. Trabalhava na área de Engenharia. Sempre gostei de roupas diferentes, eu mesma sempre as buscava! Em lojas, em brechós ou bazares… adorava garimpar essas peças!

Quando ele nasceu, em 2010, também queria vesti-lo diferente, porém, o mercado sempre me apresentava roupas com gênero bem definido. Então me veio a ideia de criar algumas camisetas para ele.

Sempre fui ligada às artes e tecidos. Essas peças seriam únicas, como eu buscava. Em paralelo com meu trabalho, na época, (que era na Assessoria Ambiental do DER), comecei a fazer essas roupas, usando uma técnica artesanal, chamada Patch Aplique.

Essas opções estão disponíveis na loja (Foto: reprodução/Arquivo Pessoal)

Utilizei as redes sociais para expor essa minha ideia e resultado das primeiras peças. Fez sucesso e houve interesse. Decidi atender alguns pedidos e na empolgação criar novas peças, inclusive para adultos, pois também havia demanda. Cada vez mais surgiam pedidos e novas produções.

Tudo foi ficando muito puxado e cansativo. A maternidade, produções até altas madrugadas e a Assessoria Ambiental. Chegou o momento que resolvi arriscar, me dedicar somente ao meu negócio e ter mais flexibilidade para que meu filho não precisasse passar o dia inteiro na escola, como foi desde seus 8 meses de vida.

Surgiu então a Candinha Pula Corda! Agora as camisetas infantis são lançadas com coleções e todas inspiradas em temas específicos, como músicas, histórias, lendas ou mitos.

Desde o início: ‘Trazemos em nossas peças cantorias, peraltices e aventuras extraordinárias’. Sempre interativas e pensadas para as crianças, com tecidos de texturas diferentes, caudas, asas, penduricalhos. Atraentes para os pequenos e sempre muito coloridas.

Candinha completará 5 anos em 2019. Atualmente, conseguimos dar um passo maior e além do varejo, estamos no atacado! É um ótimo sentimento ver a Candinha chegando em novas cidades para novos públicos, além das redes sociais. Entre uma coleção e outra, continuo lançando peças para adulto

Hoje, a loja tem roupas para você combinar com seu filho (Foto: reprodução/Arquivo Pessoal)

As bordadeiras que comigo trabalharam, vieram de um grupo de economia solidária, da zona leste de São Paulo. São mulheres, muitas vezes senhoras, que por algum motivo, não tem possibilidades para trabalhar fora de seus lares.

Hoje foco em minha marca infantil, Candinha Pula Corda, vendendo atacado e varejo. Meu filho continua sendo muito inspirador, me fazendo entender melhor a preferência da criança em cada uma de suas fases.”

Se você também construiu um negócio próprio a partir da experiência com a maternidade, conte sua história para nós via direct do Instagram (@paisefilhosoficial) e participe do projeto Nascer de Novo. Em parceria com a Brascol, queremos valorizar o empreendedorismo materno.

Dalila e o filho usando uma das peças da Candinha Pula Corda (Foto: reprodução/Arquivo Pessoal)

Leia também:

Economista usa experiência profissional e educa outras mães: “Para não passarem por situações parecidas a minha”

Quer ser a dona do seu próprio negócio? Conheça o projeto Nascer de Novo

Paixão pela escrita faz mãe sonhar em abrir um negócio próprio