Especiais

“Socooooorro!”: vem ver tudo o que rolou na mesa-redonda do 8º Seminário Internacional Pais&Filhos

Marcos Piangers, Fernando Rocha, Jade Seba, Mariana Kupfer e Cris Guerra participaram do bate-papo e compartilharam experiências

Jennifer Detlinger

Jennifer Detlinger ,Filha de Lucila e Paulo

(Foto: Reinaldo Silva)

Para fechar o ciclo de apresentações e troca de experiências, reunimos um timaço para compor a mesa-redonda: Marcos Piangers, Fernando Rocha, Jade Seba, Mariana Kupfer e Cris Guerra. No bate-papo, o assunto foi “Socooooorro!”, que consolidou o tema do nosso Seminário.

Comandados por Andressa Simonini, nossa editora-executiva, os participantes falaram sobre a importância de aprender a aceitar e pedir ajuda e as redes de apoio para a criação dos filhos. “O grande barato e prazer da ajuda é poder pedir e oferecer. Eu não tinha uma rede de apoio enorme, tive que criar a minha”, diz Mariana Kupfer, mãe de Vicky.

“Trocar experiências é bom, mas é importante entender que cada um tem a sua”, falou Jade Seba, mãe de primeira viagem de Zion. “Durante a paternidade, eu precisei cuidar de mim primeiro. Eu gostava muito de ser pai, mas eu precisava aprender o tempo todo. As amizades mudam, as prioridades mudam, mas o que não muda é o relacionamento e as nuances com os filhos”, conta Fernando Rocha, mãe de Rafael e Pedro.

“Exercer a maternidade com prazer é estar bem consigo mesma”, falou Mariana, sobre as cobranças que chegam após a maternidade, ao ter que conciliar carreira e a vida com a filha. “O desafio como pai é saber o limite, porque a gente quer resolver tudo pelos filhos. Onde você percebe que não é amigo dele, mas sim pai”, defende Fernando Rocha.

“Infância tem data certa para começar a acabar. Ter filho é como um videogame, você vai passando de fases”, disse Andressa. Para ela, é essencial viver de verdade cada um desses processos. “Nós ficamos tão ansiosos pelo que está por vir que não curtimos o agora”, concordou Jade. “É importante que nossos filhos saibam que podem contar com a gente sempre”, completou Cris.

Para Mariana, é essencial curtir a infância dos filhos ao máximo: “Eu estimulo e estendo a infância da minha filha o máximo que posso”. “É preciso ter tempo de escuta ativa e atenção exclusiva para os filhos”, defende Marcos Piangers, defende Marcos Piangers, pai de Anita e Aurora. “A paternidade é descobrir vários finais da linha – mas também encontrar outros. Acaba uma fase, começa outra”, disse Fernando.

Leia também:

Vera Iaconelli faz refletir: “O filho não é só seu, ele pertence a uma sociedade”

Conheça os ganhadores do primeiro sorteio do 8º Seminário Internacional Pais&Filhos

Começou! O 8º Seminário Internacional Pais&Filhos promete esse ano