Família

Pai escreve texto sobre os desafios de criar uma menina

"É impossível saber quem ou o que será a minha filha, e essa descoberta deve ser algo para se esperar"

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

"O que você fizer com ela, eu farei com você" é a regra que fez o pai refletir como vai cuidar da filha (Foto:Reprodução Globo Esporte)

“O que você fizer com ela, eu farei com você” é a regra que fez o pai refletir como vai cuidar da filha (Foto: Reprodução Globo Esporte)

Christopher Currie publicou em sua rede social que a esposa estava grávida de uma menina. Junto com a notícia ele usou aquela clássica imagem da camisa com as “regras para namorar minha filha”. Uma das linhas dizia “o que você fizer com ela, eu farei com você”. Na época era uma brincadeira, mas “agora minha filha tem quase seis meses de idade e a questão de como vou protegê-la de repente tomou mais relevância” afirmou em sua coluna no site Babyology.

“Minha filha nasceu dois anos após o nascimento do meu filho, e enquanto os primeiros dias foram parecidos, eu já começava a pensar nas diferentes maneiras que eu abordaria a criação de uma menina. Além das diferenças físicas (minha esposa foi a primeira a reparar, em uma troca de fralda, que “é tudo diferente lá embaixo!”), eu estou cada vez mais ciente das maneiras que eu adquiri de tratar minha filha de forma diferente.

Eu me peguei, nas primeiras semanas da vida da minha filha, pensando em sua aparência, examinando seus traços para indícios de que ela seria bonita ou não. Algo que eu nunca pensei com o meu filho. Que chocante a aparência da minha filha estar tão intrinsecamente ligada às minhas esperanças por ela. Aos seis meses, é claro, já há muito mais para se orgulhar do que sua aparência. Como sua personalidade incrível e feliz, sua determinação de se sentar sozinha, sua adoração inabalável pelo irmão, mesmo enquanto ele a acerta na cabeça com um brinquedo macio.