Vitamina D na gravidez: veja a importância, os benefícios e impacto sobre o recém-nascido

A Vitamina D é superimportante para o organismo, principalmente durante a gestação. Conheça os principais benefícios para o corpo e também como obtê-la

Resumo da Notícia

  • Vitamina D é super necessária para o organismo no período de gestação.
  • Além de proteger contra problemas de saúde, reduz os riscos de abortos espontâneos
  • Mulheres com baixos níveis de Vitamina D durante a gestação estão mais propensas a terem bebês com autismo
  • A exposição ao sol é a melhor forma de obter a Vitamina D

Durante a gravidez existem vários fatores que contribuem positivamente no processo de transformação física da gestante. Entre eles, estão os níveis adequados de vitaminas e minerais. Você que está grávida provavelmente já deve ter escutado que a Vitamina D é uma das vitaminas super necessárias para o bem-estar neste período.

-Publicidade-

É importante estar sempre com os níveis de Vitamina D em dia, principalmente durante a gestação, pois nesse momento o corpo da mãe está se transformando para receber o bebê e precisa estar saudável e em equilíbrio. Estudos recentes reforçam a importância desse equilíbrio, com o intuito de evitar complicações e garantir a segurança do bebê e da mãe.

O corpo precisa estar em equilíbrio para o bem estar do bebê
O corpo precisa estar em equilíbrio para o bem estar do bebê (Foto: Getty Images)

Além de proteger contra vários problemas de saúde e ajudar na fertilidade da mulher, ela promove o crescimento saudável da placenta e reduz os riscos de pré-eclâmpsia (complicação perigosa da gravidez, caracterizada por problemas no desenvolvimento dos vasos da placenta, levando a espasmos nos vasos sanguíneos, alterações na capacidade de coagulação do sangue e diminuição da circulação sanguínea).

O que a ausência da Vitamina D pode causar? 

Pesquisas realizadas pelo McGrath, Instituto Cerebral da Universidade de Queensland, na Austrália, mostraram que mulheres que não estão com os níveis de vitamina D em dia durante a gestação estão mais propensas a terem bebês com autismo. Além disso a falta do nutriente pode ocasionar câncer, osteoporose, hipertensão, diabetes, derrames, distúrbios psiquiátricos, doenças autoimunes, pré-eclâmpsia na gravidez e até mesmo abortos espontâneos.

A pré-eclâmpsia é mais comum depois da 20ª semana da gestação, especialmente a partir do terceiro trimestre, e pode resultar em restrição do crescimento do bebê e nascimento prematuro, além de influenciar para que a criança já nasça com deficiência dessa vitamina.

Na Universidade de Tel-Aviv  em Israel, um estudo mostrou que mulheres que carecem de vitamina D  em seu organismo têm mais chances de serem inférteis ou sofrerem abortos espontâneos.  A vitamina D promove um ambiente mais favorável para a gravidez por meio de vários mecanismos, portanto, a deficiência dessa vitamina balança o equilíbrio do organismo da grávida e pode ocasionar a perda de gravidez recorrente.

Abortos espontâneos podem acontecer em mulheres que carecem de vitamina D no organismo
Abortos espontâneos podem acontecer em mulheres que carecem de vitamina D no organismo (Foto: Freepik)

O Dr. Odair Albano, médico ginecologista, ex-secretário de saúde Campinas SP e consultor de saúde, explica: “A hipovitaminose D é um problema de saúde mundial e atinge mais de 1 bilhão de pessoas. Gestantes e lactantes estão no grupo de risco e devem manter níveis de 25(OH)D entre 30-60 ng/ml. Uma pesquisa mostrou que no mundo 54% das gestantes e 75% dos recém-nascidos apresentam concentrações abaixo de 20ng/ml³”.

Sinais como dor óssea, fraturas, suscetibilidade a infecções e distúrbios respiratórios e cardíacos podem indicar falta de vitamina D no organismo. Nestes casos, o recomendado é procurar um especialista.

Quais são os benefícios da Vitamina D no organismo?

A Vitamina D é um hormônio que contribui para a boa saúde dos sistemas imunológico, ósseo, cardiovascular e muscular, além de manter a pele e o organismo saudável. Ela  também ajuda a regular a absorção de cálcio e fósforo e age na liberação de insulina. Inflamações e alergias também podem ser evitadas com o nível correto da vitamina.

A pediatra Camila Lemiechek, filha de Lucélia e René diz: “Os benefícios da vitamina D são muitos. Estudos mais recentes apontam para outros efeitos positivos em relação à melhora da imunidade e prevenção de doenças autoimunes (como diabetes tipo I e esclerose múltipla) e até alguns tipos de câncer (mama, próstata, cólon). Praticamente todos os tecidos e órgãos do corpo se beneficiam dela, direta ou indiretamente, não só os ossos”.

Bons níveis de vitamina D no organismo induzem melhor a ovulação
Bons níveis de vitamina D no organismo induzem melhor a ovulação (Foto: Getty Images)

Segundo o obstetra da Maternidade Paulistana Guilherme Loureiro, este hormônio também é essencial para quem está planejando ter um bebê, pois quando a mulher está em idade fértil, bons níveis de vitamina D no organismo induzem melhor a ovulação. “Há alguns estudos científicos mostrando a importância do nível adequado de vitamina D no bom funcionamento da fisiologia de fertilidade, com maiores chances de a mulher engravidar”, afirma Nancy Huang, médica da Zodiac Produtos Farmacêuticos S/A e mãe da Sofia. Além disso, bons níveis de vitamina D promovem melhor adaptação da placenta no organismo materno.

Qual a melhor forma de adquirir Vitamina D?

A exposição ao sol é a maior fonte deste hormônio. “A vitamina D só é absorvida adequadamente com a exposição da pele ao sol, completamente livre de barreiras”, ressalta Dr. Guilherme. O ideal é ficar no sol, sem protetor solar durante 15 minutos ao dia, fora dos horários de sol a pino (até às 10h e depois das 16h).

O sol é a maior fonte de vitamina D
O sol é a maior fonte de vitamina D (Foto: Shutterstock)

Além da exposição solar, a alimentação também é muito importante para a obtenção da vitamina D. Os alimentos que mais apresentam essa vitamina são os de origem animal – como peixes, ovos e derivados do leite. No entanto, eles não são capazes de suprir as necessidades diárias. Menos de 10% da Vitamina D é proveniente das fontes alimentares, por isso, tomar sol ainda é mais efetivo.

Uma alternativa para a baixa dosagem de vitamina D no organismo é a suplementação através de capsulas ou soluções que contenham o nutriente. “Segundo a revisão Cochrane (2019), a suplementação de vitamina D pode melhorar a evolução da gestação e reduzir riscos de complicações. No caso do aborto de repetição a modulação precoce da resposta imunológica é importante para ampliar a tolerância ao feto, que tem identidade genética própria, diferente da mãe”, ressalta o Dr. Odair Albano.

Suplementação de Vitamina D
Suplementação de Vitamina D (Foto: Reprodução)

Por esse motivo, é bastante comum que médicos aconselhem às gestantes uma ingestão maior e completa de vitaminas, muitas vezes prescrevendo a suplementação vitamínica D para uma gestação tranquila. Porém, a prescrição médica de acordo com as necessidades do paciente é indispensável, por isso, sempre consulte um especialista.