Criança

Relato de mãe: “Minha filha sobreviveu duas vezes ao câncer e ela tem apenas 6 anos”

A história de Arden é emocionante

Isabella Zacharias

Isabella Zacharias ,Filha de Aldenisa e Carlos

A história de Arden é emocionante (Foto: Reprodução / Facebook Tray Sullivan)

Arden MacPhee, de 1 ano, ficou doente em janeiro de 2014. Sua mãe, Tray Sullivan supôs que era uma infecção de ouvido, então a levou à pediatra.

A médica olhou os ouvidos de Arden e viu que estava tudo bem, mas depois fez um check-up no resto do corpo da criança. Começou a apalpar o corpo e parou no abdômen, dizendo que existia uma espécie de massa. Elas foram encaminhadas para o hospital, onde Arden fez um ultrassom.

Horas depois, a médica disse que Arden estava com câncer. Tray disse que, automaticamente, entrou no “modo de planejamento”. Enquando Arden era colocada na ambulância e levada para um hospital especializado com o pai, Tray foi para casa, fez uma mala e pensou como poderia cuidar de seu filho de 3 anos.

Arden passou por vários exames para um diagnóstico mais preciso, então foi comprovado que ela tinha um tumor de Wilms no rim, o tipo mais comum de câncer renal. Arden fez 11 dias de quimioterapia. “Ela não fazia ideia do que estava acontecendo”, disse Tray em entrevista ao Yahoo Lifestyle.

Depois disso, Arden foi para casa. “Eu não sabia o que fazer. Recebi um folheto sobre como ser uma mãe de uma criança com câncer. Foi destruidor”, ela revelou. Após as sessões de quimioterapia, Arden fez uma cirurgia para remover o rim e, depois, passou por mais sessões.

Tray disse que foi “fácil” para Arden passar por isso quando era bebê. “Ela vomitava depois do tratamento e continuava brincando”, conta a mãe. Porém, ela revelou que o horário de dormir da filha estava totalmente errado. Por exemplo, ela ficava acordada às 3 da manhã, querendo comer lanches e assistir desenhos animados. E isso acordava seu irmão, que queria fazer o mesmo.

Arden ficou curada do câncer e a família ficou muito feliz por isso.

A família de Arden reunida (Foto: Reprodução / Facebook Tray Sullivan)

Quatro anos após o diagnóstico, durante um exame de rotina, Arden recebeu más notícias: novamente, ela estava com câncer, dessa vez no rim remanescente. A notícia foi um choque: “Foi como ser atingido por um raio duas vezes”, diz Tray. Na época, a família estava planejando uma festa para comemorar a cura do câncer de Arden.

Os planos foram cancelados e a menina fez vários exames para ter um diagnóstico mais preciso. Tray disse que dessa vez foi mais difícil. Arden entendeu o que estava acontecendo e ficava se questionando porque não poderia ir para a escola e porque ela tinha que estar doente. “Ela sabe que as crianças podem morrer de câncer, mas ela não perguntou se aconteceria com ela. Ela estava mais preocupada com coisas como acordar durante a cirurgia”, contou a mãe.

A família de Arden se reuniu para duas lutas contra o câncer e iniciaram campanhas de arrecadação de fundos como o “Exército de Arden” e o “Limonada de Arden” para pagar suas contas médicas e para investir em pesquisas sobre o câncer infantil.

A menina passou por 12 sessões de quimioterapia. “Ela vomitou e teve febre quase todas as vezes e nós tínhamos que correr para o hospital. Seu corpo estava se desgastando”, diz Tray.

Os médicos disseram à mãe que estavam tentando realizar um milagre com a cirurgia. Se o cirurgião não encontrasse todo o câncer, ela teria que remover seu rim, fazer diálise e esperar por um transplante. A cirurgia, feita em abril de 2018, levou 8 horas. Felizmente, o cirurgião conseguiu remover todo o câncer.

Com o sucesso da cirurgia, Arden precisou lutar com a recuperação. Ela desenvolveu pneumonia e precisou de transfusões de sangue. Ela também sentia muita dor e a medicação não estava ajudando.

“Lembro-me de que um dia chorei e pensei: ‘Não consigo acreditar que minha filha vai morrer e não vai ser por causa do câncer'”, disse Tray. “Ela estava gritando e chorando o tempo todo por causa da dor. Ela olhava pra mim como se dissesse: ‘Como você pode deixar isso acontecer comigo? Por que você não está fazendo nada?’. Isso foi o mais difícil”.

Arden se recuperou e a dor diminuiu. Ela precisou fazer mais quimioterapia após a cirurgia apenas por precaução. Em julho de 2018, ela foi considerada livre do câncer.

A mãe disse que se sente otimista com a saúde futura da filha, mas ainda se preocupa. Arden faz exames regularmente para garantir que permaneça livre do câncer. “Eu olho para ela e ela é uma menina normal e saudável de 6 anos“, diz Tray. “Sou muito grata por isso”.

Leia também:

Pai dá conselho após quase todos os membros da família enfrentarem câncer: “Viva a vida intensamente”

Menino dança Michael Jackson no fim do tratamento contra câncer e vídeo bomba

Filha organiza ensaio fotográfico para mãe com câncer e o resultado é emocionante