Relato de mãe: “Meu marido me paga quase R$ 7 mil por mês para cuidar dos nossos filhos”

O casal, Matt, de 38 anos, e Alexandra, de 36, têm dois filhos, Matilda, de 6, e Henry, de 3 anos. Sem salário próprio, o marido a paga uma mesada pelo ofício de ser “mãe período integral”

Resumo da Notícia

  • Marido paga salário de quase R$ 7000 à esposa por ela cuidar das crianças
  • O casal, Matt, de 38 anos, e Alexandra, de 36, têm dois filhos, Matilda, de 6 anos, e Henry, de 3
  • Eles contaram como esse sistema funciona na própria dinâmica familiar

Geralmente, conforme as pessoas amadurecem elas param de receber mesada, concedida pelos pais. No entanto, segundo o The Sun, algumas pessoas continuam recebendo, mesmo depois de adultas, esse pagamento, mas dessa vez do cônjuge. Em pesquisa foi comprovado que as mulheres são três vezes menos prováveis de trabalharem durante a pandemia por colocarem o cuidado dos filhos como prioridade.

-Publicidade-

O pagamento pela maternidade, contudo, gera dúvidas se esse dinheiro estaria patrocinando o retorno a uma antiga era ou reconhecendo o trabalho de quem cuida das crianças em casa.

O pagamento pode variar de casal para casal, no entanto, Alexandra Jakeman, de 36 anos, casada com Matt, de 38, fica em casa cuidando da filha de 6 anos, Matilda, e o Henry, de 3  e contou como esse sistema funciona no relacionamento da própria família.

-Publicidade-
O casal pensou em um sistema que fosse funcionar para ambos (Foto: Reprodução/ The Sun)

A mulher disse que quando tinha 20 anos ela era muito festeira e não se importava com o dinheiro, chegando a comprar tudo o que via pela frente. Sem saber lidar com ele ela entrou em uma dívida de 8 mil libras no débito. Com muito esforço ela conseguiu se livrar dela antes do nascimento dos filhos.

“Quando eu conheci o Matt, em 2009, na empresa de contabilidade onde nós dois trabalhávamos, eu o contei tudo”, disse Alexandra. Com muita simpatia, o pai, depois de dois anos a conquistou, e eles começaram a namorar. Depois de mais dois anos o casal se casou e teve a primeira filha.

“Nesse ponto nós tínhamos uma conta conjunta, que décimos manter até o final da minha licença-maternidade, quando eu decidi abrir mão do meu trabalho para ficar em casa e cuidar a Matilda”, contou. Ela ainda explicou que muito disso foi pensado porque pagar uma creche não era uma opção viável ao casal.

Com a chegada do segundo filho foi ainda mais necessário a mãe ficar em casa (Foto: Reprodução/ The Sun)

Preocupada por não receber nenhum salário ela conversou com o marido e eles decidiram que ele transferiria parte do dele para a conta dela. “Ná época eu recebia 80 libras de salário família e 600 libras do Matt”, explicou. Alexandra ainda adicionou que o dinheiro era direcionado à alimentação das crianças, noites fora, academia, aula de música dos filhos e a própria conta de telefone, apesar de não pagar nenhum dos demais boletos. “Mas ainda sobrava dinheiro para eu me divertir”, contou.

“Algumas vezes eu fico auto-crítica, e penso que não sou independente, sinto vergonha disso”, desabafou. Ela ainda expressou que gostaria de ter o próprio salário para poder contribuir mais. Com a chegada do filho mais novo, Henry, em 2017, Alexandra contou que fez ainda mais sentido ela ficar em casa.

Com o avanço na carreira Matt também aumentou a mesada, pagando mil libras por mês. “Eu acho o pagamento justo,  todo o salário seria consumido pela creche, e esse elemento foi removido”, explicou a mãe-de-dois. Ainda com o sentimento de dependência do marido, agora, como as crianças estão maiores, ela sente falta de ter um emprego e, para isso, decidiu ir à faculdade para se formar como conselheira de amamentação.

Ela vai ir atrás da independência financeira e trabalhar com o que gosta (Foto: Reprodução/ The Sun)

Com medo de cair nas dívidas novamente, ela contou que durante os estudos será subsidiada pelo marido e quando trabalhar meio-período, tendo em vista que o salário vai ser mais baixo, ele também pagará a mesada. “O Matt vê como se eu recebesse o meu salário por ser ‘mãe período integral’, e ele está certo, é um trabalho 24/7, mas eu ainda quero ter o meu próprio salário”, relatou. O marido concluiu que todo o esforço vale a pena ao ver a relação próxima da esposa com os filhos.

-Publicidade-