Os partos e os modismos de hoje em dia

Entenda como a tecnologia e as redes sociais influenciam até mesmo na hora do parto

(O parto é um momento único e particular de cada mulher – Foto: Getty Images )

Com os fenômenos tecnológicos e a influência das redes sociais na vida das pessoas, diferentes tipos de parto se popularizaram e o senso comum passou a superar a comprovação científica por trás da medicina.  Neste vídeo, o Dr. Igor Padovesi explica o que são os modismos e sua influência na vida das pessoas até mesmo na hora do parto.

Um desses modismos é aquela famosa frase: O parto deve ser o mais natural possível. O parto é um momento único e particular de cada mulher, pois além das questões técnicas e científicas que envolvem a saúde e segurança da gestante e do recém-nascido, existem questões psicológicas pessoais, antropológicas e culturais, que fazem com que a própria grávida opte por uma forma de parto que seja adequada tanto aos padrões médicos de segurança quanto a sua preferência pessoal.

Sendo assim, algumas pessoas que defendem que o trabalho de parto deve ser totalmente natural e que a gestante tem que sofrer todas as dores e contrações do processo, nem sempre é o mais adequado para casos em que a mulher não pode ter o parto normal, como em pacientes mais velhas que já tiveram muitos partos normais consecutivos, quando há descolamento da placenta e outros casos de complicações.

O parto normal pode ser feito com anestesia e com isso as dores diminuídas. Isso é uma alternativa segura e cientificamente comprovada feita com toda a segurança da equipe médica. Muitas mulheres preferem que o parto normal seja feito com a anestesia, pois as dores do parto é um dos fatores mais temidos entre as mulheres na hora de escolher o tipo de parto.

Parto feito na água envolve muitas dúvidas recorrentes. A imersão na água quente durante o trabalho de parto favorece a dilatação e diminui as dores da mãe, porém o nascimento na água não é recomendado pela comunidade médica. Muitos casos de afogamento e fraturas no crânio do bebê ao bater a cabeça no fundo da banheira foram registrados. Além disso, existe o risco da grávida contrair alguma infecção durante o parto.

Uma tendência dos dias de hoje é o parto de cócoras, semelhante ao feito pelas índias. É comprovado que a posição horizontal tradicional não é a ideal para o nascimento do bebê, com isso, os médicos estão optando pela posição semi-sentada, que não é de cócoras e nem horizontal.

O parto orgásmico é propagado por alguns grupos específicos, mas não é reconhecido pelos médicos. Esses grupos defendem que no momento do parto a mulher tenha uma relação íntima com o marido e tenha orgasmos que ajude a aliviar as dores. Já o parto de lótus é uma outra crença defendida por grupos que consiste em manter a placenta unida ao bebê e não cortar o cordão umbilical, deixando-o cair naturalmente dias depois do nascimento do recém-nascido.

O parto humanizado não é um modismo e é reconhecido como uma tendência mundial por toda a comunidade científica acadêmica, que consiste em uma menor interferência por parte da equipe médica no parto, para que as coisas ocorram naturalmente dentro de todos os limites de segurança tanto para a gestante quanto para o bebê. Isso faz com que a experiência do parto seja mais acolhedora e natural, deixando de ser mecanizada.

Dr. Igor fala sobre todos os modismos em dois vídeos da séria Gravidez Sem Neura:

 

 

 

Leia também: 

O que você precisa saber sobre parto normal induzido 

Contração: vídeo explica da maneira mais fácil como saber se você está em trabalho de parto

Parto normal: tiramos as principais dúvidas sobre o processo