Criança

Criança é diagnosticada com infecção após tomar injeção de dipirona

Mariah tem dois anos e está internada na Santa Casa de Campo Grande

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

A menina deu entrada no hospital com febre (Foto: iStock)

A menina deu entrada no hospital com febre (Foto: iStock)

Mariah Helena, de 2 anos, internada depois de tomar um injeção de dipirona após uma crise de febre. A mãe, Daniela Lopes, acredita que a causa da infecção foi negligência médica na hora da aplicação.

A menina foi levada à UPA no dia 21 de setembro depois de apresentar febre. No local, foi encaminhada diretamente a uma enfermeira pois não havia pediatras disponíveis.  Um médica “de adultos”, como disse Daniela ao Correio do Estado, “receitou injetar dipirona intramuscular e banhos frios para a febre baixar”.

A febre diminuiu depois de algumas horas, mas no dia seguinte a menina estava com a perna inchada e não conseguia mais andar. A mãe de Mariah voltou durante 2 dias ao UPA para fazer exames, mas a ela acabou sendo encaminhada para a Santa Casa de Campo Grande, onde finalmente foi diagnosticada com Celulite Infecciosa, infecção que acontece quando bactérias entrar na pele, infectando as camadas mais profundas, podendo causar graves complicações como septicemia e morte.

Dois dias depois da injeção de dipirona, a perna de Mariah inchou e ela não conseguia mais andar. (Foto: Reprodução: Facebook)

Dois dias depois da injeção de dipirona, a perna de Mariah inchou e ela não conseguia mais andar. (Foto: Reprodução: Facebook)

Daniela diz que o quadro de sua filha ficou mais grave, evoluindo para Artrite Séptica, afetando seu quadril e seus joelhos. Segundo ela, o quadro teria sido causado por “falta de higiene na hora em que foi aplicada a injeção”.

Após dar entrada no hospital, Mariah passou por cirurgia para drenar o líquido da coxa, mas continua internada, sem previsão de alta, conforme informou a assessoria de imprensa da Santa Casa. A mãe está desesperada com a situação da filha e sente culpa pelo que aconteceu. “Diante de tudo isso fico triste por saber que se eu não tivesse ido ao UPA naquela sexta feira e eu mesma cuidasse da febre da minha filha com dipirona em gotas e dando banhos como foi feito no UPA, hoje minha filha estaria saudável como sempre foi, correndo pela minha casa, indo a escolinha como ela ama ir!” publicou a mãe nas redes sociais.

Leia também:

Mãe usa sabonete feito de leite materno para curar doença do filho de 1 ano

Mãe com doença terminal escreve cartas para a filha ler quando crescer

Família faz relato de agressão a criança em escola; polícia investiga a denúncia