Juliette conta que tem queda de cabelo desde criança: entenda por que acontece na infância e como prevenir

A perda de cabelo durante a infância pode estar relacionada a condições genéticas, má alimentação, distúrbios hormonais e estresse

Resumo da Notícia

  • Juliette Freire contou aos fãs que faz tratamento para calvície
  • Ela disse que sofre com queda de cabelo desde que era criança
  • Especialistas explicam como identificar a perda de cabelo na infância e o que fazer para evitar

Juliette freire, campeã do BBB21, contou aos seguidores nesta segunda feira, 21 de janeiro, que sofre com queda de cabelo desde a infância.

-Publicidade-
Juliette disse ter calvície desde a infância
Juliette disse ter calvície desde a infância (Foto: reprodução / Instagram @juliette)

O relato surgiu após muitos fãs questionarem porque a paraibana vai tantas vezes ao dermatologista. “Fora essas coisas de tratamento de pele, peeling, todas essas coisas de embelezamento, faço um laser aqui nessas áreas [disse apontando na parte do couro cabeludo próxima à testa] para estimular crescimento, porque tenho calvície feminina”, disse Juliette.

A cantora ainda falou que descobriu o problema ainda na infância. “Desde criança, tenho pouquíssimo cabelo nessas áreas aqui. Estou tentando tratar porque faço muito secador e chapinha. Aí quero evitar grandes problemas”, contou.

O que é calvície?

Alopécia androgenética, mais conhecida como calvície, é um distúrbio que pode ser definido pela redução parcial ou total de cabelos ou pelos, geralmente no couro cabeludo. A queda acontece quando o folículo piloso, por onde passam os fios, se atrofia, fazendo com que o cabelo não consiga mais crescer e quebre.

Criança pode ter calvície?

De recém-nascidos a idosos, qualquer pessoa pode sofrer com a perda de cabelos. Porém, o fenômeno da calvície não ocorre na infância. Trata-se de outra condição.

A queda de cabelo em bebês e crianças pode estar associada a fatores genéticos na minoria dos casos, mas também a hábitos de vida, incluindo a alimentação. “As causas de queda capilar na infância podem ser genéticas, mas principalmente relacionadas doenças nutricionais como desnutrição infantil, má alimentação, podendo aparecer desde recém-nascido até o final da segunda infância”, aponta Dr. Anderson Zei, médico pós-graduado em dermatologia e pai de Luis Augusto e Lívia.

Fique atento para perceber as falhas de cabelo no couro cabeçudo das crianças
Fique atento para perceber as falhas de cabelo no couro cabeçudo das crianças (Foto: Shutterstock)

Além disso, micoses e fungos no couro cabeludo também podem fazer com que os fios caiam, deixando falhas capilares na cabeça. Fique sempre atento com a higiene do seu filho para que isso não aconteça. Lave corretamente e, após o banho, certifique-se de que ele e o couro cabeludo estão totalmente secos.

Cíntia Guedes, dermatologista e mãe de Helena, ainda diz que as falhas no couro cabeludo podem aparecer porque muitas vezes as crianças aliviam a raiva, ansiedade ou estresse puxando o próprio cabelo da cabeça. “As vezes a criança está nervosa e arranca o cabelo, o que forma falhas em algumas regiões do couro cabeludo”.

De olho nos sinais! 

Os pais precisam ter um olhar atento para perceber se os cabelos do filho estão caindo mais do que o normal e não estão nascendo novamente. Cíntia afirma que é comum que os fios caiam da cabeça do bebê entre o terceiro e sexto mês de vida, mas com o tempo eles param. “Se o cabelo continuar caindo após os seis meses, algumas situações devem ser investigadas”, aponta a dermatologista.

Crianças estressadas podem acabar arrancando o cabelo da cabeça. Essa pode ser a causa da falta de fios
Crianças estressadas podem acabar arrancando o cabelo da cabeça. Essa pode ser a causa da falta de fios (Foto: IStock)

Essas situações envolvem hábitos de saúde, como a alimentação, higiene do couro cabeludo, possíveis doenças genéticas e distúrbios endócrinos, como o hipotiroidismo. Além disso, questões relacionadas à saúde mental também influenciam na queda de cabelo.

Em sinal de queda excessiva de cabelo, procure um especialista para identificar a causa e tratar o problema. “Assim que se percebe as falhas no couro cabeludo é importante procurar um dermatologista, porque para cada queda de cabelo existe uma causa e cada causa, um tratamento”, diz Cíntia.

Diagnóstico

O diagnóstico é feito no consultório. O dermatologista vai usar um aparelho chamado dermatoscópio- ele emite uma luz e aumenta a região que se quer observar em até quarenta vezes. Caso o especialista não identifique o problema, serão exigidos alguns exames, como biópsias.

Tratamento

O tratamento varia de acordo com a causa do problema. Conforme o diagnóstico, o especialista pode indicar uma alimentação balanceada, pomada a base de corticoide, medicação injetável, ou até mesmo pigmentação e transplante de cabelo em casos necessários.

A falta de cabelo pode abalar a autoestima de muitas crianças. Além do apoio da família, é recomendado que essas crianças também possam contar com o acompanhamento de um psicólogo.