Criança

Pai terá que responder por descuido, após filho ser baleado na escola por arma que pegou em casa

Em conversa, o responsável disse que a pistola ficava trancada em um prédio do lado da residência

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

Menino entrou com a pistola do pai na escola sem ninguém perceber (Foto: iStock)

Menino entrou com a pistola do pai na escola sem ninguém perceber (Foto: iStock)

Menino, de 9 anos, levou um tiro durante horário de aula em Campo Grande na quarta-feira (14). A aula era de geografia e, segundo relatos, a arma disparou de dentro da lancheira. O menino foi levado ao Hospital Proncor e depois encaminhado para a Santa Casa. Ele já teria falado para os amigos que estava com a pistola.

A arma pertencia ao pai do menino e esse disse à polícia que não sabe como o filho teve acesso à arma, uma vez que está estava guardado e um prédio anexo à casa e a vítima não frequentava o local.

O delegado Rodrigo Camapum, plantonista da Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário disse ao G1 que conversou informalmente com o pai e alguns funcionários da escola para saber mais do caso e do comportamento do menino na escola. “Aos 9 anos, entendemos que a criança foi vítima deste ocorrido e a investigação caminha para uma negligência. Também não ficou comprovado que ele tinha algum desentendimento na escola. Ao contrário, foi ressaltado que é um menino tranquilo.”

A assessoria de imprensa da Santa Casa disse ao G1 que o tiro pegou no calcanhar do menino e ela passou a noite no hospital em observação. A alta ocorreu na manhã do dia 18. Os pais são médicos e, segundo investigação, o pai também seria agente de segurança. “Se for confirmado que ele é perito, será instaurado um procedimento para apurar se houve infração administrativa”, comentou a delegada Rosely Molina, Corregedora Geral de Polícia Civil, ao G1.

Um pai, que tem filho na mesma escola, disse que ficou em choque ao saber do tiro. “Só de saber que teve um tiro dentro da escola do seu filho é muito assustador, ainda mais depois de tantos casos que a gente vê pela TV de tiroteio dentro de sala de aula”, explica.

A escola se prontificou a oferecer ajuda psicológica à alunos e pais que precisassem, além de lamentar o ocorrido e reforçar que a arma entrou na escola sem ninguém perceber. “O Colégio Adventista Jardim dos Estados informa que na tarde desta quarta-feira, 17, um aluno do ensino fundamental, sem consentimento e conhecimento dos pais e da própria escola, entrou com uma arma, dentro da sua lancheira. Esta, ainda ali, disparou, atingindo o membro inferior do próprio aluno. Imediatamente, foi chamado socorro médico para o aluno e os demais colegas foram encaminhados para outra sala, onde ficaram em segurança. A escola lamenta o ocorrido e está prestando a assistência necessária à criança, à família e à polícia na investigação.”

Leita também:

Absurdo: criminosos se irritam com choro de criança e matam mãe na frente dos filhos

Família faz relato de agressão a criança em escola; polícia investiga a denúncia

Estudo afirma que países onde os pais são proibidos de bater nos filhos têm menor índice de violência